Tag: história

Bitaites e instigações

Bilderberg 2015

Este ano cabe à luxuosa unidade hoteleira austríaca Interalpen-Hotel Tyrol receber o encontro anual do Clube Bilderberg. Tal como em 1988, esta estância de montanha acolhe o Clube sob o habitual secretismo e apertadas regras de segurança. As autoridades austríacas já fizeram saber que o espaço aéreo estará interdito num perímetro de 30 milhas.

A conferência Bilderberg 2015 está marcada para Junho, entre os dias 11 e 14, e a lista de convidados ainda não é conhecida. Como de costume entre os participantes teremos seguramente alguns dos mais importantes nomes americanos e europeus ligados ao mundo dos negócios, da polícia e da ciência.

A escolha da data não parece ser inocente, pois surge colada à reunião do G7 (agendada para os dias 7 e 8 de Junho, na Alemanha), apenas a três quilómetros da fronteira com a Áustria.

Os Bilderberg asseguram que são apenas um grupo pessoas influentes que debatem, com pessoas igualmente influentes, os grandes temas mundiais num ambiente descontraído e discreto, sem a pressão da imprensa e do politicamente correto.

Uma coisa é certa: sempre que este clube se reúne algo acontece na vida de todos nós! No caso português não podemos deixar de relembrar um par destas coincidências:

  1. junho de 2004, Santana Lopes e José Sócrates foram a uma destas reuniões. Um mês depois, Santana Lopes substituía Durão Barroso (que também foi a um encontro antes de se tornar primeiro-ministro);
  2. março de 2005, José Sócrates é eleito Primeiro-ministro.

Coincidência? Aguardemos.

Já falámos neste assunto aqui e aqui e vamos tentar dar conta de novidades.

 

Curiosidades

Efeitos da Mudança Climática

Adam LeWinter e Jeff Orlowski estavam na Gronelândia onde filmaram um momento que nunca ninguém tinha visto até agora. Os autores do filme descrevem este acontecimento como “uma coisa mágica, milagrosa, horrível e assustadora”.

Apesar de surpreender, este excerto do filme “Chasing Ice” (“À Caça do Gelo”, numa tradução livre) é igualmente a prova documental de que a mudança climática está a ter um efeito profundo no nosso planeta.

O glaciar Ilulissat foi palco deste espetáculo onde durante 75 minutos desapareceu uma área equivalente a dois quilómetros, ou seja, aluiu uma área de gelo do tamanho de Manhattan!

Para saber um pouco mais sobre este projeto não hesitem em visitar https://chasingice.com.

Curiosidades

O raio dos putos! – Parte III

Quando pensamos em invenções vem-nos à cabeça a imagem de adultos de bata branca com o cabelo desgrenhado. Acontece que por vezes também as crianças ou adolescentes nos surpreendem com a sua capacidade de inventar e de mudar o mundo. Depois de dar a conhecer alguns ilustres desconhecidos contemporâneos em dois artigos anteriores (Parte I e Parte II), vamos agora dar uma olhadela em inventores de outros tempos que ficaram na história e a quem muito devemos hoje em dia.

Antoine van Leeuwenhoek inventou o microscópio quando tinha 16 anos. Estávamos no século XVII e este holandês trabalhava como aprendiz de alfaiate, mas isto não o impediu de inventar aquilo que se tornaria na primeira lente de microscópio, modificando simplesmente as características técnicas de uma lupa. O microscópio utilizado por Leeuwenhoek para as suas descobertas era constituído por uma lente biconvexa e tinha a capacidade de aumentar a imagem cerca de 200 vezes. A ele é atribuída a descoberta dos microorganismos.

Anthonie van Leeuwenhoek (1632-1723). Natuurkundige te Delft

 

Estávamos no século XVII quando um jovem francês de 16 anos inventou a calculadora mecânica. Blaise Pascal, de seu nome, dedicou três anos da sua vida a esta máquina a que chamou Pascaline. Este inventor haveria ainda de ter enorme influência, entre outras áreas, na Física e na Matemática.

Blaise Pascal

 

Louis Braille ficou cego com apenas três anos, estávamos no início do século XIX. No entanto, não este francês não permitiu que a perda de visão o impedisse de alcançar os seus sonhos e pelo meio inventou o alfabeto braille quando tinha 15 anos. É ainda hoje uma das mais famosas invenções de sempre.

Louis Braille

 

Samuel Colt era um jovem de 15 anos que estudava numa escola em regime de internato, durante a primeira metade do século XIX. Não era muito popular, nem tinha amigos e para piorar só tinha más notas. Como queria dar a volta à situação e ser popular, Samuel começou a brincar com explosivos para fogo-de-artifício e arranjou maneira de encher balas com pólvora e dispará-las depois através de um cilindro rotativo que em inglês se chama «revolver». Pronto, estava inventado o revólver!

Samuel Colt

 

Como acontecia com muitos miúdos americanos do final do século XIX, Chester Greenwood ficou com as orelhas geladas enquanto patinava no gelo num dia muito frio. Apesar de ter atado um cachecol à cabeça para tapar as orelhas Chester não gostou totalmente desta solução e procurou uma outra mais eficaz. Fez uma estrutura de arame e pediu à avó que cosesse a essa estrutura duas pequenas almofadas de pele de castor. Assim nasceu o primeiro protetor de orelhas do mundo, quando Chester tinha apenas 15 anos.

Chester Greenwood patent

 

Frank Epperson inventou o gelado de gelo aos 11 anos um pouco por acaso. Numa noite invernosa de 1905, em São Francisco, Frank esqueceu-se no alpendre de um copo de sumo (mistura de pó tónico com água) com uma colher lá dentro. Graças às baixas temperaturas, pela manhã reparou que o sumo do copo estava congelado e nascia assim o primeiro gelado com pauzinho.

Frank Epperson

 

George Nissen inventou o trampolim quando tinha apenas 16 anos. Ao ver os trapezistas no final das suas exibições que se lançavam para uma rede de segurança, George pensou que seria muito mais divertido se eles pudessem continuar a saltar. A sua invenção resumia-se a uma estrutura de metal com uma lona bem esticada.

George Nissen

 

Nascido no Canadá, Joseph-Armand Bombardier inventou a mota de neve quando tinha 15 anos. Num dos invernos que passava rodeado de muita neve decidiu montar o motor de um velho Ford T sobre uma estrutura metálica assente em dois pares de esquis. Assim nasceu a mota de neve que viria a ser muito importante na altura da Segunda Grande Guerra.

Joseph-Armand Bombardier

Às vezes não damos muito crédito nem muita atenção às ideias dos mais pequenos, mas eles têm uma enorme capacidade de nos surpreender. Raio dos putos!

Curiosidades

Basílica do Santo Sepulcro

Sejamos ou não religiosos não podemos deixar de nos envolver por estas questões. Além do mais nada melhor do que conhecê-las para poder tomar partido. No entanto, seja qual for a nossa posição devemos pautar-nos sempre pelo respeito e tolerância quanto à posição e opinião dos demais. São estas características que nos tornam mais humanos.

Jerusalém é por inúmeros motivos uma cidade especial, ainda que esteja não raras vezes envolta em polémicas ou outras razões menos recomendáveis. É, ainda assim, um local de culto ainda que, paradoxalmente, a santidade que a caracteriza e a torna única seja, ao mesmo tempo, uma espécie de maldição e fruto de quezílias de toda a espécie.

A cidade de Jerusalém fica no coração de Israel, nas Montanhas da Judeia, entre o mar Mediterrâneo e o mar Morto. A sua história é milenar e possui locais sagrados para qualquer uma das três religiões monoteístas: Judaísmo, Islamismo e Cristianismo. É por este motivo um destino turístico por excelência, tanto para religiosos, como para leigos. Devemos ainda juntar o interesse que desperta aos historiadores, sobretudo atendendo ao enorme peso histórico que possui.

Jerusalém está agora muito mais acessível a todos, em especial alguns locais específicos, graças às maravilhas da técnica. A par do que já acontece com muitas cidades e monumentos um pouco por todo o mundo, podemos fazer uma visita virtual em 3D a este local especial e conhecer um pouco melhor os lugares fascinantes da cidade sagrada. Não podemos deixar de referir a Basílica do Santo Sepulcro, local onde a tradição cristã afirma que Jesus Cristo foi sepultado e de onde ressuscitou no Domingo de Páscoa. Este é, com efeito, um dos locais mais sagrados da cristandade.

Podemos observar vários locais do Santo Sepulcro, em Jerusalém, com a ajuda de fotografias de 360°. Podemos até clicar com o botão direito do rato para escolher o modo de ecrã completo (tela cheia). Na barra inferior podemos ainda escolher várias possibilidades de operar a fotografia para baixo ou para cima, mais rápida ou mais devagar…

http://www.360tr.com/kudus/kiyamet_eng/index.html

Resta apenas desejar uma boa viagem…

 

N.B.: Aqui fica um outro miminho: todos os concelhos de Portugal em fotos. Absolutamente a (re)ver.

Opinião

«Adeus» diz-se aos mortos

Sempre ouvi dizer que «adeus» dizemos aos mortos. Não pretendo alongar-me muito, até porque tudo ou quase tudo foi sendo dito ao longo destes dias sobre este assunto. No entanto, importa dizer que só morrem aqueles que se esquecem e dificilmente o «Rei» será esquecido.

O clube e a nação não vão permitir esquecer quem semeou tantas emoções. Nem os adversários esqueceram! Eles que também foram tocados por essas emoções semeadas, porque para haver quem ganhe, tem de haver quem perde. Não foram agraciados pelo dulcíssimo gosto de quem ganha, mas antes pelo sabor acre de quem sofre e ainda assim não odeiam, porque um adversário não é um inimigo e há que reconhecer a grandeza de quem a possui. Não esqueceram passados todos estes anos e estou em crer que não vão fazê-lo! As imagens em Old Trafford e no Santiago Barnabéu não mentem, não foi coisa protocolar, de circunstância. Foi admiração e respeito que guardamos apenas para os nossos… e ele é de todos. Assim são as lendas: como nós, para que nos reconheçamos nessas figuras, mas muito melhor do que nós, porque conseguem feitos que jamais alcançaríamos.

Convém, pois, lembrar as palavras de Manuel Alegre:

Havia nele a máxima tensão.

Como um clássico ordenava a própria força,

sabia a contenção e era explosão,

havia nele o touro e havia corça.

 

Não era só instinto era ciência,

magia e teoria já só prática.

Havia nele a arte e a inteligência

do puro jogo e sua matemática.

 

Buscava o golo mais que golo: só palavra.

Abstracção. Ponto no espaço. Teorema.

Despido do supérfluo rematava

e então não era golo – era poema.

 

Tudo o mais são histórias!