Tag: férias

Bem-estar

Lista de tarefas para as férias de verão

Deste lado do mundo começaram as férias escolares que vão durar quase todo o verão. Ai, que belos tempos! É, pois, tempo de fazer tudo ou de não fazer nada, porque tempo é coisa que, em princípio, não vai faltar!

A pensar nesta época especial, um professor italiano presenteou recentemente os seus alunos com uma lista de tarefas a fazer durante o verão. Isto não parece nada bom, mas começando a ler essa lista depressa se percebe a sua importância e profundidade a tal ponto que a internet se encarregou de a tornar viral, como agora acontece e se diz no espaço virtual, graças a um número louco de “Gosto” e de partilhas.

Numa tradução livre e pilhada do ciberespaço aqui fica, na esperança de que possa de alguma forma servir de inspiração a quem a lê:

1. Pela manhã, caminha pela praia em total solidão, presta atenção ao reflexo do sol na água, pensa no que mais gostas na vida e sente-te feliz.

2. Tenta usar todos os novos termos aprendidos este ano: quanto mais coisas dizes, mais coisas podes imaginar e quanto mais coisas podes imaginar, mais livre te sentirás.

3. Lê tudo o que puderes. Mas não porque tens que fazê-lo. Lê porque o verão inspira sonhos e aventuras e lendo sentir-te-ás como as andorinhas a voar. Lê porque é a melhor forma de rebelião que tens (se quiseres uma sugestão de leitura, pergunta-me).

4. Evita todas as coisas, situações e pessoas que te influenciam negativamente e te fazem sentir vazio: busca as situações desafiadoras e a boa companhia dos amigos que te enriquecem, que te entendem e que te apreciam pelo que és.

5. Se te sentires triste ou com medo, não te preocupes: o verão, como todas as coisas maravilhosas, coloca a alma em tumulto. Tenta escrever um diário onde traduzas os teus sentimentos em palavras (em setembro, se te apetecer, podemos lê-lo juntos).

6. Dança sem vergonha. Na pista de dança ou em casa. O verão é uma dança e seria tolice não participares dela.

7. Ao menos uma vez, vai assistir ao amanhecer de um novo dia. Permanece em silêncio e respira. Fecha os olhos e sente-te agradecido.

8. Faz muito desporto.

9. Se encontrares uma pessoa que te encante, diz-lhe com toda a sinceridade e graça que és capaz. Pouco importa se ele/ela vai perceber ou não. Se não perceber, é porque ele/ela não era o teu destino. Caso contrário, o verão de 2015 será a grande oportunidade de caminharem juntos (se isso der errado, volta ao passo 8).

10. Sobre as anotações das nossas aulas: para cada autor e cada conceito, faz perguntas a ti mesmo e reflete sobre o que desperta em ti.

11. Sê alegre como o sol e indomável como o mar.

12. Não digas palavras rudes e sê sempre educado e amável.

13. Vê filmes com diálogos pungentes (preferencialmente em inglês) para melhorar as tuas habilidades linguísticas e a tua capacidade de sonhar. Não deixes que o filme se acabe com os créditos: revive-o enquanto dura o verão.

14. Nos dias ensolarados ou nas noites quentes, sonha como pode e deve ser a tua vida. Enquanto durar o verão, reúne toda a força que necessites para não renunciar a isso que queres e faz todo o possível para perseguir este sonho.

15. Sê bom.

Sorte destes alunos que podem privar com um professor tão talentoso!

Se precisarem de mais ideias e inspiração, podem encontrá-las facilmente no filme «Clube dos Poetas Mortos», protagonizado por Robin Williamns, o eterno professor Keating. Aqui fica um cheirinho.

Opinião

Agosto, o mês dos Emigrantes

Como diria o grande o grande Marco Horácio “Sou emigrante, sou emigrante e venho da Suíça”…

 

 

A história era assim, mas entretanto mudou. Cada vez mais são os que vão para a Suíça, mas não lhes apetece muito voltar. Com Agosto chegam os emigrantes a Portugal… Partilho sentimentos antagónicos, mas no fundo acho que o saldo é positivo!

Antes de mais, gostaria de salientar que esta tradição (de visita ao país em agosto) está a cair em desuso. Sinais de um novo tempo, de um tempo em que o dinheiro escassa um pouco por todo lado, sinais de um país que já pouco acolhe quem um dia o deixou. Outra coisa não se pode esperar de um pais em que os governantes convidam a emigração, é muito normal que seja hostil para quem fica e para quem volta.

Agora pegando em assuntos mais sérios. Há coisas que me irritam profundamente nalguns emigrantes. Não suporto o ar de peru armado que muitos fazem. Não suporto o falarem constantemente noutra língua para fingir que não  se sabem fazer entender ao empregado de café ou restaurante, mas para dizerem palavrões ou dar uns chapos ao filho o português serve perfeitamente. A velha história “ Michelle tu va tombe, eu não te disse filho da put* que ias cair” sintetiza todo este capítulo.

Não gosto da atitude que muitos tomam de superioridade… Mas se pensarmos bem, no fundo estes são a minoria e não devemos tomar o todo pela parte. Isto é, a maioria das pessoas que voltam ao seu país têm muito gosto de cá estar, têm muito gosto de vir cá gastar dinheiro, dinheiro que lhes custou muito a ganhar, e esses merecem toda a nossa consideração, carinho e respeito. Agora os outros… os outros são ursos, mas ursos há em todos os países. 🙂

Mourinho - Real Madrid

Sentimentos e considerações à parte não posso deixar de falar da moda 2012. Não sei bem como funciona, nem sei como é que combinam, a verdade que independentemente do país que vêm, vestem-se de forma padronizada. Parece que este ano a moda é usar camisola do Real Madrid. Tipicamente a mulher arranja-se bem e o marido anda de camisola do Real Madrid. Não consigo perceber bem qual é o sentido da coisa, mas acredito que o maior orgulho para quem mora fora é ver alguém que também mora fora a ter imenso sucesso 🙂

Gozem muito e boas férias 🙂

Opinião

Tempo de férias

Para quem não sabe, sou, em termos gerais, contra as férias. Só trazem problemas, sendo o maior deles o ter de voltar à rotina. Quem as inventou teve a melhor das intenções, estou certo, pois após um período de trabalho/actividade há um período de descanso previsto e muitas vezes merecido. Read more “Tempo de férias”