Category: Pare, Escute e … Reflita !

Bem-estar

Escravos do corpo ou Vítimas da Mente

 

Antes de mais, espero que não tenham comido muitas amêndoas! Prometo que nas próximas semanas irei escrever sobre conceitos e dicas de exercício e nutrição de que vocês estão à espera. Todavia, hoje gostaria que refletissem comigo sobre a importância do corpo nas nossas vidas, no fundo, para que serve a nossa imagem?

Este século XXI está a ser rico em crises, revoluções … e posições extremadas! Se por um lado, e ainda bem, se começa acreditar em psiquiatras e psicólogos, a assumir que muitos dos problemas, tanto físicos como de origem puramente mental, são solucionáveis com técnicas terapêuticas, por outro lado, a palmada na hora certa (já referida no artigo “Não há nada como (no) antigamente…”) foi abolida. Parece-me um claro paradoxo, mas faz parte de viver no século da constante mudança.

 

Continuando com os paradoxos…

Ninguém parece contente com a imagem que tem, enquanto em grande parte do Mundo ainda se passa fome.

 

anorexia

 

Não querendo entrar na questão da fome, mas aproveitando para dar uma achega, se calhar esta é transversal tanto para gordos, anoréticos e narcisistas. Aos primeiros nada os satisfaz, ingerem pela boca, o que a maioria das vezes não consegue obter das suas vidas. Os segundos não conseguem comer nada que a vida lhes dá, vivem uma realidade distorcida onde nada merecem e nunca se enquadram. Os últimos dão de comer regradamente ao corpo, mas esquecem-se de nutrir a mente. No fundo, todos passam fome, apenas não sabem que há alimentos para o corpo e alimentos para a mente.

 

o narcisista

 

Voltando ao assunto principal…

Cada vez mais se mistura saúde com vaidade e comércio. Penso que faz parte da sanidade mental cuidar da própria saúde. Há que ter um mínimo de amor-próprio que garanta a manutenção de um corpo são. Já diziam os romanos “Mente sã em corpo são”, e cada vez mais acredito que é mais fácil ter o corpo são se mente estiver sã.

O comércio de que falo passa pelas farmacêuticas que tentam vender desde medicamentos até produtos milagrosos para perda de peso, e passa também empresas de fast-food que são as que mais contribuem para o aumento da epidemia da obesidade com a comida processada.

Há que tentar sobreviver na terra dos paradoxos, onde alguns se tornam escravos do corpo e outros vítimas da própria mente. É tão deslocado o gordo como o obcecado por exercício! Todavia, há um meio-termo a conquistar.

Todas as pessoas devem cuidar da saúde, comer bem, evitar agressões como o álcool, tabaco e outras drogas e praticar exercício físico. O exercício físico é um componente essencial para a manutenção da vossa saúde. Se o fizerem de forma adequada correm o risco de em breve os gordos, preguiçosos e invejosos vos chamarem de obcecados!

 

inveja